6 Mudanças Poderosas de Mentalidade

Tendo acompanhado dezenas de jornadas transformadoras de pessoas, e ao estudá-las pude identificar um conjunto de 6 mudanças poderosas de mentalidade que têm o potencial de causar um impacto incrível em nossas vidas. Aquelas pessoas que se comprometeram verdadeiramente, em abraçar essas mudanças, experimentaram transformações notáveis.

Irei compartilhá-las aqui com vocês na esperança de que possam inspirar não só a minha, mas a sua própria jornada da transformação. Se forem adotadas e incorporadas plenamente em suas vidas, acreditamos que essas mudanças podem ser verdadeiramente transformadoras. Vale ressaltar que estas não são as únicas mudanças possíveis, mas constituem uma base sólida e substancial para começar nossa jornada em direção a uma mentalidade mais fortalecedora e positiva.

6 Mudanças Poderosas de Mentalidade
Com as mudanças certas de mentalidade você terá a coragem para começar uma jornada de empoderamento verdadeiro e concreto

6 Mudanças Poderosas de Mentalidade

Eu sou suficiente

Podemos perceber que o oposto disso pode surgir quando tememos ser julgados, receamos o fracasso, duvidamos de nossa dignidade para receber respeito e admiração. É quando nos preocupamos excessivamente com as opiniões alheias e culpamos os outros por nos fazerem sentir insuficientes. Também acontece quando nos sentimos sobrecarregados e acreditamos que não conseguimos dar conta de tudo. Mas e se nós, independente do que fazemos ou deixamos de fazer, sempre fôssemos suficientes? E se pudéssemos abandonar a preocupação constante de sermos bons o bastante? E se isso fosse a nossa suposição fundamental? Nesse caso, todas as outras preocupações em relação a isso se tornariam muito mais leves e fáceis de lidar.

Ao abraçar a crença de que somos suficientes, damos um passo importante em direção à autenticidade e ao amor próprio. Deixamos para trás o fardo do perfeccionismo e da autoexigência desenfreada. Isso nos liberta para nos expressarmos plenamente, aceitando nossas imperfeições como partes valiosas de quem somos. Ao adotarmos essa mentalidade, encontramos a coragem de nos aventurarmos além de nossas zonas de conforto, pois não estamos mais constantemente preocupados com o julgamento dos outros. Em vez disso, focamos em crescer, aprender e nos desenvolver sem a constante sombra da inadequação. A jornada para reconhecer nossa própria suficiência pode ser desafiadora, mas é uma jornada que vale a pena, pois nos permite abraçar a plenitude de nossas vidas com gratidão e confiança.

Eu permito sentir minhas emoções

É verdade que a maioria das pessoas evitam sentir tristeza, medo, frustração, raiva e tristeza. Muitas vezes, nos afastamos dessas emoções porque acreditamos que há algo errado em experimentá-las. Ao longo da maior parte de nossas vidas, gastamos uma quantidade significativa de energia tentando evitar essas emoções, seja distraindo-nos ou negando-as. Mas e se simplesmente nos déssemos permissão para sentir tristeza? Ou medo? Ou raiva? Atravessar essas emoções pode não ser sempre fácil, embora possa ser desconfortável. No entanto, se nos permitirmos abrir para essas experiências, descobrimos que essas emoções também podem ser belas, oportunidades de aprendizado e fontes de sabedoria profunda. E, o mais importante, elas passam. Não precisamos mais gastar tanta energia resistindo e reprimindo nossas emoções. Tornamo-nos mais relaxados em relação a elas, abraçando-as como parte natural de nossa experiência humana. Portanto, encorajamos a todos a se concederem a permissão necessária para sentir essas emoções. É um ato de autocompaixão e crescimento pessoal que pode enriquecer profundamente nossas vidas.

Ao nos permitirmos sentir essas emoções, também criamos um espaço valioso para a autenticidade e a autoaceitação. Reconhecemos que ser humano é experimentar uma ampla gama de sentimentos, e não há nada de errado nisso. Em vez de nos julgarmos por nossas emoções, começamos a explorar o que elas têm a nos ensinar. A tristeza pode revelar as profundezas de nossos sentimentos e nos lembrar da importância das conexões emocionais. O medo pode nos levar a confrontar nossos limites e encontrar nossa coragem interior. A raiva pode ser um sinal de que nossos valores estão sendo desafiados, nos impulsionando a tomar medidas positivas. À medida que abrimos espaço para essas emoções, descobrimos que elas são parte integrante de nossa jornada de crescimento e autodescoberta. Portanto, encorajamos todos a abraçar suas emoções com compaixão e curiosidade, pois é nesse espaço que encontramos uma conexão mais profunda com nós mesmos e com os outros.

6 mudanças poderosas de mentalidade
Permitir sentir nossas emoções criamos um espaço para a autenticidade e a autoaceitação

Eu me amo quando sinto emoções

Quando sentimos emoções, como a maioria das pessoas, tendemos a resistir a elas e, pior ainda, nos julgamos por tê-las. Não é necessário entrar em muitos detalhes para explicar isso, apenas pedimos que confiem em nesta perspectiva. Se simplesmente notarmos que estamos experimentando uma emoção (digamos, frustração ou tristeza) e nos permitirmos um pouco de amor, uma pausa para respirar e um espaço gentil… a experiência se transforma completamente. Não precisamos mais fazer um grande alarde sobre a presença da emoção; em vez disso, nos concedemos o presente do amor próprio. Esse simples ato de amor e aceitação muda completamente o jogo emocional. Ao nos tratarmos com bondade e compaixão quando estamos emocionalmente envolvidos, permitimos que essas emoções fluam de forma mais livre e saudável, abrindo caminho para uma relação mais harmoniosa com nossos sentimentos internos.

Ao praticarmos o amor-próprio quando estamos imersos em nossas emoções, também criamos um ambiente interno mais acolhedor e tolerante. Em vez de nos envergonharmos por sentir raiva, tristeza ou qualquer outra emoção, começamos a enxergar essas emoções como partes naturais e válidas de nossa experiência humana. Isso nos permite explorar as lições e os insights que cada emoção traz consigo, tornando-as aliadas em nosso crescimento pessoal. A autoaceitação não significa que sempre seremos dominados por nossas emoções, mas sim que aprendemos a trabalhar com elas de maneira construtiva. É uma jornada de autodescoberta e autocompaixão que nos ajuda a cultivar um relacionamento mais saudável e amoroso conosco mesmos, ao mesmo tempo em que fortalece nossa capacidade de lidar com as complexidades emocionais da vida. Portanto, encorajamos a todos a praticar o amor-próprio em suas jornadas emocionais, pois é um presente que continua a dar, enriquecendo nossas vidas de maneiras profundas e significativas.

Leia também: 15 Atitudes que precisamos Abandonar para Alcançarmos a Felicidade

Eu não estou preso no certo x errado

Nós não estamos presos no dilema do certo e errado. É surpreendente com que frequência nos autodepreciamos – pensamos: “Não deveria ter feito isso” ou “Sou terrível por não ter feito aquilo”. Sentimos vergonha de quem somos. E, da mesma forma, muitas vezes projetamos essa mesma visão crítica nas outras pessoas – as julgamos por suas ações ou omissões. Isso nos coloca sob constante estresse, tentando atender a essas expectativas de certo e errado. Mas e se escolhêssemos sair desse jogo de julgamento? E se optássemos por um jogo completamente diferente, livre das restrições dessa estrutura mental? Nesse novo jogo, não há lugar para “deveria” ou vergonha. Estamos livres para explorar, inovar, criar, brincar e nos divertir plenamente. Essa abordagem nos permite abraçar a diversidade de experiências e perspectivas, promovendo um ambiente mais acolhedor e inclusivo para nós mesmos e para os outros. Portanto, convidamos todos a considerar a possibilidade de abandonar o ciclo de julgamento e abraçar a liberdade de sermos autênticos e criativos em nossas vidas.

Ao rompermos com a armadilha do certo e errado, descobrimos um terreno fértil para o crescimento pessoal e a expressão autêntica. Livres dessas amarras autoimpostas, nos tornamos mais corajosos para explorar nossos interesses, paixões e curiosidades sem o peso do julgamento constante. Podemos abraçar nossas próprias jornadas de aprendizado, reconhecendo que cometer erros é uma parte natural do processo. Além disso, ao deixarmos de rotular os outros como “certos” ou “errados”, abrimos espaço para compreensão, empatia e conexões mais profundas em nossos relacionamentos. Essa mudança de perspectiva nos permite viver com mais alegria, criatividade e liberdade, e nos convida a celebrar a riqueza da experiência humana em toda a sua diversidade. Portanto, incentivamos a todos a se libertarem das correntes do julgamento e a abraçar a vastidão do potencial humano para a autenticidade e a expressão genuína.

Eu confio em mim mesmo

Imagine como seria a vida se todos nós confiássemos plenamente em nossas próprias capacidades e intuições. Muitas vezes, nos encontramos presos em um ciclo de preocupação e ansiedade simplesmente porque não temos confiança suficiente em nossa própria jornada. Mas e se ousássemos acreditar em nós mesmos? O que mais poderia se desdobrar se começássemos a confiar em nossas próprias decisões e escolhas? Uma vida com mais facilidade, brincadeira e autenticidade pode se tornar uma realidade. Ao abraçarmos a confiança em nós mesmos, nos permitimos desfrutar de uma jornada mais alegre e significativa, onde a autorreflexão e a autoaceitação se tornam aliadas valiosas em nossa busca por uma vida plena. Confiar em nós mesmos é uma chave para vivermos uma existência repleta de possibilidades e autenticidade. Portanto, convidamos todos a explorar o incrível potencial que surge quando decidimos confiar em nossa própria sabedoria interior.

Quando confiamos em nós mesmos, criamos um alicerce sólido para a autoexpressão e a realização pessoal. Isso nos dá a coragem de seguir nossos sonhos e metas com convicção, sabendo que somos capazes de enfrentar os desafios que surgem pelo caminho. A confiança em si mesmo também fortalece nossos relacionamentos, pois nos permite ser autênticos e transparentes com os outros. Além disso, ao confiarmos em nossa própria bússola interna, tornamo-nos menos suscetíveis à influência negativa do julgamento alheio, permitindo-nos viver de acordo com nossos valores e princípios pessoais. Portanto, acreditar em nós mesmos é uma jornada que vale a pena ser perseguida, pois nos coloca no controle de nossas vidas e nos capacita a criar um futuro cheio de possibilidades e significado.

6 Mudanças Poderosas de Mentalidade
Confiar em si mesmo é libertador!

 

Eu escolho minha vida

Nós escolhemos nossas vidas. Muitas vezes, nos vemos realizando ações porque sentimos que é o que devemos fazer, ou porque acreditamos não ter alternativa. Movemo-nos por obrigação ou por uma sensação de falta de escolha. Essa mentalidade cria uma vida que pode parecer uma carga e nos deixa sentindo como vítimas de circunstâncias que estão além de nosso controle. Infelizmente, muitas pessoas não percebem quando se encontram nessa mentalidade, porque está profundamente enraizada em nossa cultura. No entanto, quando adotamos a perspectiva de escolher nossa própria vida, tudo muda. É um poderoso ato de empoderamento. Sentimo-nos vivos e capacitados para moldar nosso destino.

Quando decidimos conscientemente escolher nossas próprias vidas, abrimos portas para uma jornada de autenticidade e autodeterminação. Deixamos de ser espectadores passivos de nossa própria existência e nos tornamos os autores ativos de nossas histórias. Essa mudança de mentalidade nos capacita a definir metas alinhadas com nossos valores e paixões, e a perseguir essas metas com convicção. Não somos mais reféns das expectativas alheias ou das circunstâncias externas; em vez disso, reconhecemos que temos a capacidade de criar o tipo de vida que desejamos viver. A liberdade que vem com a escolha consciente de nossa própria jornada é incomparável, e nos convida a explorar nosso potencial mais profundo e a viver uma vida cheia de significado e propósito. Portanto, incentivamos a todos a abraçar a ideia de que somos os arquitetos de nossos próprios destinos e a tomar as rédeas de suas vidas com coragem e determinação.

Leia: 7 mudanças de mindset que te aproximam de uma vida mais plena

Considerações Finais:

Então, como trabalhamos com essa transformação? Muitas vezes, não conseguimos enxergar o que está além de nossas próprias limitações. Com isso dito, compartilharemos algumas chaves para trabalhar essas 6 mudanças poderosas de mentalidade. Primeiro, é crucial que você reconheça quando está adotando a mentalidade contrária. Esteja atento e observe quando se encontrar preso nas antigas crenças, o mais frequentemente possível. Avalie o impacto dessas crenças antigas – como elas o afetam, as pessoas ao seu redor e sua vida como um todo? Lembre-se de ser gentil consigo mesmo e cultivar amor próprio quando perceber que está nesse estado. Respire profundamente para ancorar-se no momento presente.

Em seguida, pratique as 6 mudanças poderosas de mentalidade. Imagine como seria se a nova perspectiva fosse absolutamente verdadeira. Capacite-a e integre-a em sua vida cotidiana. É um processo que exige compromisso e autodisciplina, mas os resultados podem ser notáveis.

Por fim, quando você inevitavelmente se encontrar voltando à mentalidade antiga – o que é perfeitamente normal -, busque apoio externo. Recorra a um coach, terapeuta, instrutor de meditação ou qualquer pessoa que possa oferecer um ponto de vista objetivo e auxiliar você a adotar uma visão mais amorosa e saudável de si mesmo e do mundo ao seu redor. Lembre-se de que a transformação requer prática constante, e é normal cometer erros ao longo do caminho. Isto é parte integrante do processo de desenvolvimento, crescimento e autodescoberta. Embora o trabalho possa ser desafiador, prometemos que a jornada é profundamente transformadora e gratificante.

 

 

 

Gostou desse assunto? Leia outras matérias que podem lhe ajudar nessa jornada de autodesenvolvimento e construção de sua melhor versão:

Mulheres Bem-Sucedidas: 7 hábitos que você precisa também adotar

 

 

Quer saber mais sobre esse assunto? Veja o vídeo abaixo:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *